O catalisador do seu carro está em boas condições?

O catalisador é uma componente muito importante de qualquer automóvel de combustão, apesar de muitas pessoas não saberem bem qual é a sua função. Por esse motivo, esta peça é frequentemente negligenciada, o que dá origem a problemas no carro mais graves e aumenta a pegada ecológica.

Para que o seu automóvel não seja o protagonista deste cenário, neste artigo, vamos explicar-lhe qual é a importância de um catalisador e dar-lhe pistas para que consiga perceber se o seu está em bom estado.

O que é, afinal, o catalisador?

Se fizer uma rápida pesquisa online vai descobrir que, em química, um catalisador é uma substância que aumenta a velocidade de uma reação entre dois elementos. Mas num automóvel, o catalisador é uma peça que pode ser encontrada no sistema de escape e que tem a função de “limpar” as emissões de gases do veículo, tornando-as menos poluentes e nocivas para o ambiente.

É numa pequena cavidade de aço inoxidável que o catalisador – que é composto por várias micro células catalíticas – transforma os hidrocarburantes (HC) em vapor de água e o monóxido de carbono (CO) em dióxido de carbono (CO2).

É certo que o dióxido de carbono continua a ser um problema e um grande responsável pela poluição urbana. Porém, por ação do catalisador, a transformação química que acontece faz com que as emissões que chegam à atmosfera sejam menos graves do que aquelas que originalmente resultaram do processo de combustão.

Este processo ocorre a altas temperaturas (entre os 400°C e 700°C).

E o que é o sistema de Redução Catalítica Seletiva?

O catalisador é cada vez mais associado ao SCR (em inglês Selective Catalytic Reduction ou Redução Catalítica Seletiva), um sistema ainda mais eficaz na eliminação dos gases, mediante a administração de AdBlue, uma solução à base de uréia.

Ler mais: “A importância de manter o sistema de escape em boas condições”

Sintomas de que o catalisador do seu automóvel está com problemas

Ainda que o comportamento de um catalisador varie de acordo com o modelo e marca, assim como com o nível de manutenção, é sensato esperar que o seu tempo de vida útil esteja compreendido entre os 80.000 e os 120.000 quilómetros.
Mas até que tenha de ser substituído, e à semelhança do que acontece com outras peças, o catalisador também pode sofrer avarias (uma obstrução, por exemplo). Se assim for, pode notar um dos seguintes sinais:

  • O tubo de escape emana um cheiro estranho e diferente do habitual;
  • Ouve sons metálicos na parte inferior do carro (ou outro ruído diferente do habitual);
  • Ouve disparos no motor do carro;
  • Quando acelera, o carro perde força e/ou tem um tempo de resposta mais lento;
  • O consumo do automóvel aumentou;
  • A luz de injeção permanece ligada no painel de instrumentos;
  • A pressão no escape faz com que o motor do automóvel pare ao final de alguns minutos de utilização.

Quanto custa substituir o catalisador?

O catalisador é uma peça relativamente dispendiosa, que pode oscilar entre os 200 e 400 euros (não contando com o preço da mão de obra). Para evitar custos desnecessários, é fundamental ter alguns cuidados de manutenção com esta peça, de forma a não ter de a substituir antes do tempo.

O que fazer para preservar o catalisador?

1. Faça sempre a revisão automóvel a tempo e horas

A causa comum da obstrução do catalisador tem que ver com a poluição do próprio veículo. Nesse sentido, é fundamental realizar a manutenção devida a tempo de horas e não vacilar, por exemplo, na mudança e verificação dos níveis do óleo. Um veículo que consome demasiado óleo, pode sofrer com uma obstrução no catalisador causada pelo excesso de partículas acumuladas.

Substituir o filtro do combustível e do óleo com regularidade também é importante para salvaguardar o sistema de injeção, e aumentar a durabilidade do catalisador e das demais componentes do motor.

Ler mais: “Revisão automóvel: o que importa saber

2. Evite conduzir com o tanque de combustível na reserva

Para além de correr o risco de ficar a pé, conduzir um carro na reserva vai fazer com que o catalisador trabalhe de forma irregular. Quando atestar o carro, evite ainda o uso de gasolina com chumbo, já que o chumbo pode contribuir para avariar esta e outras componentes mecânicas.

Ler mais: “Preço combustíveis: dicas essenciais para conseguir poupar”

3. Cuidado com as agressões externas

Conduza com prudência de forma a evitar golpes na chapa que possam danificar o catalisador. Já a malha cerâmica, que é uma componente bastante frágil, pode facilmente partir-se e, se assim for, as suas partículas também podem entupir o catalisador. Não há nada como uma condução suave e segura!

4. Verifique regularmente as velas de ignição

As velas de ignição são responsáveis por gerar faísca e por fazer com que o combustível chegue ao catalisador devidamente queimado. É por isso que é fundamental assegurar que elas estão a funcionar corretamente.

Faça a verificação do seu catalisador numa oficina Caetano Retail

Se os sintomas acima lhe soam familiares, provavelmente está com problemas no catalisador do seu carro. Confie nos técnicos da Caetano Retail e marque já uma visita à oficina mais próxima para verificar o estado do seu catalisador.