Discos de travão: será que está na hora de mudar?

Os discos de travão e pastilhas são elementos muito importantes no sistema de travagem, mas que sofrem um grande desgaste no dia a dia. Juntamente com as pastilhas de travão e as pinças, estas peças são responsáveis pela criação do atrito necessário nos pneus que permite travar o veículo.

Sendo o sistema de travagem um aspeto tão importante para uma condução segura, é necessário que esteja atento aos menores sinais de desgaste, e que proceda à substituição dos discos e pastilhas sempre que necessário.

Que tipos de discos de travão existem?

Mais cedo ou mais tarde terá de mudar os discos de travão do seu carro. Por isso, convém que saiba que diferentes tipos de disco de travão existem e quais são os mais apropriados para o seu automóvel. Opte sempre por discos ventilados, que são essenciais no controlo da temperatura. Eles são capazes de dissipar o calor gerado pela fricção entre o disco e as pastilhas. Os discos ventilados podem ser de diferentes tipos:

  • Perfurados — as perfurações no rotor ajudam a escoar a água e a libertar os discos dos detritos que resultam da travagem e da condução. Este tipo de discos tem a desvantagem de diminuir a superfície de contacto e de dissipação do calor, e de comprometer a resistência do disco.
  • Lisos — são esteticamente mais apelativos (têm um visual mais “limpo”), e aumentam a superfície de contacto, comprometendo menos a resistência dos discos. Porém, não têm nenhum sistema para facilitar a limpeza dos detritos, nem para escoar a água.
  • Ranhurados — é uma solução que se situa “no meio” e que foi desenhada para ser uma versão híbrida. Os discos ranhurados conseguem assegurar uma boa capacidade de limpeza, enquanto mantêm praticamente intacta a integridade do rotor.

Quando devo mudar os discos de travão e pastilhas?

Saber com que frequência se deve trocar os discos de travão é uma dúvida comum a grande parte dos condutores.

O sistema de travagem, como um todo, deve ser verificado a cada 100.000 quilómetros. Já os discos e pastilhas de travão devem ser substituídos a cada 30.000 a 40.000 quilómetros percorridos.

Porém, há vários aspetos que podem acelerar o desgaste destas peças, como por exemplo: o modelo do carro, o estilo de condução do condutor, o uso indevido do sistema de travagem, o tipo de direção, se a condução é feita em vias rápidas ou em centros urbanos, entre outros.

Para além disto, há ainda uma espessura mínima dos discos de travão que deve ser respeitada. Sempre que esse limite de espessura for ultrapassado, deve proceder-se à substituição dos discos e pastilhas. Mas também há situações em que é necessário trocar os discos de travão sem que eles tenham atingido o limite de espessura. Quando os discos são arranhados por causa do atrito das pastilhas de travão não revestidas, pode ter de proceder à substituição antes do tempo previsto.

Por via das dúvidas, consulte o manual do proprietário de forma a saber exatamente quais são as recomendações do fabricante para o seu automóvel, e esteja sempre atento a sintomas relacionados com o desgaste das peças. Como alternativa, pode fazer uma marcação nas Oficinas Caetano Retail.

Discos de travão gastos: quais são os sintomas?

A melhor forma para saber quando é que os discos e pastilhas de travão precisam de ser substituídos é estar atento aos sinais. Normalmente, nestas situações, pode ocorrer o seguinte:

1. Acende-se uma luz no painel de instrumentos

As luzes do painel são sempre uma ótima forma de conseguir perceber o que se está a passar no seu automóvel. Se se ligar uma luz em formato circular, com três pequenos traços junto de cada uma das margens horizontais, é sinal de que é necessário trocar os discos de travão.

2. Vibração anormal no pedal

Se, ao travar, sentir uma vibração anormal no pedal e no volante, é porque os discos estão gastos e precisam de ser substituídos. Para além disso, também é normal que sinta uma diferença na pressão do pedal. Se for necessário aplicar mais pressão do que o normal, é porque os discos e pastilhas estão realmente gastos.

3. Ruídos durante a travagem

Os barulhos no carro são outro ótimo indicador de que alguma coisa de errado se passa. No caso dos discos de travão gastos, por vezes, ouve-se um ruído agudo durante a travagem.

4. Alteração do aspeto dos discos de travão

Também pode verificar as condições dos discos de travão visualmente. Se notar que há uma grande diferença na espessura entre a superfície do disco e a borda, é porque está realmente na hora de substituí-los. Para além da espessura, verifique ainda se existem ​​deformações visíveis ou alterações na cor da superfície.

Quais são as melhores marcas de discos de travão?

Se procura saber quais são as melhores marcas de discos de travão, comece por considerar as marcas que já são uma referência no setor. Credibilidade reconhecida é, naturalmente, um bom indicador. Porém, a melhor opção para si vai depender muito do orçamento que tiver disponível e da relação qualidade-preço que procura.

Tenha em conta que o atrito gerado pelo sistema de travagem gera um sobreaquecimento que pode chegar aos 250°C! Para que os discos de travão consigam resistir a estas temperaturas sem sofrerem qualquer tipo de dano, têm de ser feitos de materiais muito resistentes. É por esse motivo que o/a aconselhamos a recorrer sempre a marcas já estabelecidas no mercado, que produzam peças com elevados padrões de qualidade e segurança.

Mude os discos de travão do seu automóvel numa oficina Caetano Retail

Se se deparou com algum dos sintomas acima, provavelmente os discos de travão do seu carro precisam de ser mudados. Não adie mais esta situação e confie numa oficina Caetano Retail para uma substituição rápida e descomplicada.