Como viajar com animais de estimação no carro

Viajar com animais de estimação no carro é uma questão à qual deve prestar muita atenção, para segurança de todos, independentemente do percurso ou da duração da viagem.

Sabemos que as férias de verão se aproximam e que muitas famílias planeiam viagens de carro mais longas para os destinos de praia e de mais calor.

Saber a quem confiar os animais de estimação durante o período de férias é, para muitos donos, uma verdadeira dor de cabeça. Muitas famílias acabam mesmo por levar os seus amigos de quatro patas consigo durante as férias.

No entanto, para que a viagem de automóvel corra bem e seja segura para todos – quer para o animal, quer para os passageiros – é necessário ter alguns cuidados e conhecer quais são as regras que vigoram para viajar com animais de estimação.

Como os animais de estimação podem ter comportamentos imprevisíveis (especialmente em ambientes desconhecidos ou mais estimulantes), é muito importante adotar medidas preventivas que mantenham o animal sossegado durante a viagem de carro e que minimizem as distrações do condutor.

Neste artigo, vamos explorar este tema e ajudá-lo a preparar-se para as viagens com o seu companheiro felpudo.

Qual é a legislação em vigor para viajar com animais de estimação?

O Código da Estrada não especifica quais são as condições exatas às quais deve obedecer para viajar com animais de estimação. Segundo o mesmo, os animais são classificados como “carga”, o que não invalida que seja necessário adotar um conjunto de medidas para que o transporte seja feito de forma segura.

Apesar do Código da Estrada não ser explícito neste tema, existe uma normativa em vigor – o Decreto-Lei n.º 315/2003 – que determina que o “transporte de animais deve ser efectuado em veículos e contentores apropriados à espécie e número de animais a transportar, nomeadamente em termos de espaço, ventilação ou oxigenação, temperatura, segurança e fornecimento de água, de modo a salvaguardar a protecção dos mesmos e a segurança de pessoas e outros animais.

Caso o faça de forma inadequada, ou seja, coloque em causa a segurança do condutor e dos passageiros por viajar com um animal à solta, poderá receber uma multa. O valor da mesma pode ir dos 60 aos 600 euros.

Por isso, será sempre necessário ter alguns cuidados durante o transporte.

Quais os cuidados a ter com os animais de estimação no carro?

Lembre-se de que uma viagem de carro não é uma coisa natural para o seu animal de estimação. Assim sendo, é importante adotar medidas que permitam minimizar a exposição ao stress e, paralelamente, proporcionar bem-estar ao seu amigo de quatro patas.

Sabemos que cada animal reage de maneira diferente mas, de uma forma geral, sugerimos que tenha atenção aos seguintes aspetos:

  • Alimentação: não dê comida ao seu animal de estimação imediatamente antes da viagem, sob pena de ele poder enjoar. O ideal será sempre alimentá-lo duas ou três horas antes da viagem. Muitos veterinários defendem que o animal deve ser transportado sempre em jejum.
  • Medicação: se o seu cão ou gato sofrer de enjoos ou de stress severo durante as viagens de carro, fale com o seu veterinário e questione-o sobre a possibilidade de recorrer a medicação. Existem comprimidos que previnem os enjoos e que tranquilizam os animais.
  • Passeios: leve o seu cão a passear antes da viagem de carro e tente que ele gaste tanta energia quanto possível. O objetivo é que ele esteja sossegado e tranquilo durante a viagem de carro
  • Paragens durante a viagem: lembre-se ainda de que, tal como nós, os animais de estimação também vão agradecer umas paragens ocasionais durante a viagem para fazerem as suas necessidades e para esticarem as pernas. Isto vai fazer com que fiquem mais relaxados e confortáveis.
  • Distrações: poderá ser boa ideia levar um brinquedo para que o seu animal de estimação se mantenha entretido. O facto de ser um objeto familiar também vai funcionar como um estímulo positivo para o seu cão ou gato, e vai fazê-lo sentir-se mais seguro e menos ansioso.
  • Janelas abertas: normalmente os cães gostam de ir com a cabeça ligeiramente de fora. Contudo, em andamento (e principalmente em velocidades mais altas), não permita que o seu animal viaje com a cabeça de fora da janela. Em caso de travagem abrupta ou de ir contra algum ramo, o seu animal pode magoar-se.
  • Tempos de espera no interior da viatura: se tiver de “ir ali num instante” e se não puder levar o seu cão ou gato consigo, deixe-o no interior da viatura, mas certifique-se de que a janela fica ligeiramente aberta para que haja circulação de ar suficiente. Isto é muito importante principalmente em situações de calor extremo.
  • Ambiente confortável no interior do veículo: sempre que possível, tente minimizar os estímulos que o seu animal de estimação recebe durante a viagem. Proporcione-lhe um ambiente tranquilo e confortável. Neste sentido, sugerimos que evite ouvir música muito alta e que ligue o sistema de ar condicionado para que a temperatura interior esteja sempre amena e agradável.

Ler mais: “Manutenção ar condicionado do carro: tudo o que vai querer saber”

Como viajar com animais no carro em segurança?

Da mesma forma que um automóvel possui sistemas de segurança passiva que nos protegem em caso de colisão – como, por exemplo, o cinto de segurança ou os airbags – lembre-se de que também o seu animal de estimação precisa de ser protegido nessa eventualidade.

Os automóveis não têm, por defeito, sistemas de proteção para quem vai viajar com animais de estimação, por isso, é da sua responsabilidade adquiri-los ou instalá-los.

Estes são os sistemas de transporte seguro mais comuns aos quais pode recorrer:

  • Caixa transportadora: é a opção mais popular quer para cães, quer para gatos. As caixas transportadoras têm a vantagem de proteger os animais durante a viagem e em caso de colisão, são bastante eficazes. Também facilitam o transporte (colocar e retirar da viatura) e a acomodação entre outros pertences. Lembre-se sempre de escolher uma caixa transportadora adequada para o animal que, por norma, deve ter em conta o seu peso e tamanho.
  • Cintos de segurança para cães: é, no fundo, um arnês com duas extremidades: uma com um gancho que prende ao peitoral e outra com uma fivela que prende ao cinto de segurança do próprio carro. É de fácil e rápida colocação, ajusta-se ao peito e à barriga do animal e é extremamente prático;
  • Redes / grades / grelha: é uma barreira física para quem vai viajar com animais de estimação na mala do carro (ou no banco traseiro). O objetivo é confinar o animal a um espaço, para que a condução não seja interrompida de forma nenhuma. É uma boa solução para quem tem animais mais nervosos ou de grande porte que podem, assim, ficar mais à vontade dentro do carro. Contudo, é importante ressalvar que, em caso de colisão, este tipo de transporte deixa o seu animal mais desprotegido.

Ler mais: “Tudo o que deve saber sobre o aluguer de carros para férias”