Carro com atrelado: o que precisa de saber

Os atrelados para carros antecipam a chegada das férias de verão. Nesta altura do ano, os condutores portugueses têm por hábito conduzir com atrelado de forma a transportarem as suas caravanas, barcos, motas, ou mesmo para fazerem o transporte de bicicletas.

Mas sabe como conduzir um carro com atrelado e a que regras deve obedecer? Explicamos-lhe tudo neste artigo.

Que regras tenho de cumprir para conduzir com atrelados para carros?

Desengane-se se acha que basta instalar a bola de reboque no seu carro e arrancar. Antes disso, é importante que conheça todas as regras em vigor para conduzir em segurança, e em conformidade com o Código da Estrada.

Sistema de iluminação

Os atrelados para carros devem ter um sistema de iluminação próprio para que sejam facilmente identificados. Este sistema deve incluir:

  • Duas luzes brancas de presença na parte da frente, se o atrelado for mais largo do que o automóvel ou se a sua sua largura exceder os 1.6 metros;
  • Luz de matrícula na parte traseira;
  • Duas luzes de presença vermelhas na traseira;
  • Luzes de travagem vermelhas, caso as do carro não sejam visíveis;
  • Luzes de mudança de direção;
  • Luz de nevoeiro (mas apenas para os atrelados registados depois de 27 de maio de 1990);
  • Refletores vermelhos triangulares na traseira e lateral do atrelado (já os reboques registados após 30 de setembro de 1994 têm de ter refletores não triangulares de cor âmbar);
  • Luzes de marcha atrás.

Limites de velocidade

Se conduzir um carro com atrelado, os limites de velocidade não vão ser os mesmos e vai ter de circular, regra geral, mais devagar. Tome nota dos limites que deve respeitar:

  • Dentro das localidades: mantém-se o limite de 50 km/h
  • Fora das localidades: 70 km/h
  • Vias reservadas a carros e motociclos: 80 km/h
  • Autoestrada: 100 km/h

Ler mais: “Multas por excesso de velocidade: o que pode mudar?

Homologação do atrelado

No caso de querer ir de férias para fora do país, tenha atenção à homologação do atrelado. A homologação dos atrelados para carros é válida em território nacional, por isso, antes de passar a fronteira, verifique se o país de destino reconhece a homologação portuguesa.

Estas três regras são transversais a todos os atrelados porta carros. Porém, se o atrelado em questão tiver mais de 300 quilos, terá de cumprir alguns requisitos adicionais:

  • Matrícula própria — Os atrelados com peso bruto até 300 quilos, não precisam de ter uma matrícula própria. Porém, se este limite de peso for ultrapassado ou se o atrelado tapar a matrícula do carro, vai ter de investir numa matrícula específica para o atrelado, e colocá-la na traseira.
  • Documento Único Automóvel — Se o peso bruto dos atrelados para carros for superior a 300 quilos, é também obrigatório circular com um Documento Único Automóvel próprio.
  • Seguro Automóvel — O mesmo se aplica ao seguro, que deve ser feito especificamente para o atrelado em questão. A apólice do seu seguro do automóvel também deve ser revista, de forma a incluir o atrelado.

Inspeção periódica obrigatória

Por fim, se estivermos a falar de atrelados para carros cujo peso esteja compreendido entre os 750 e os 3.500 quilos, terá ainda de fazer a inspeção periódica obrigatória deste elemento.

Ler mais: “5 Coisas que vai querer saber sobre a inspeção automóvel”

Que tipo de carta devo ter para conduzir um carro com atrelado?

A carta de condução da categoria B — aquela que a grande maioria dos condutores tem — permite a condução de um carro com atrelado, desde que o seu peso total não seja superior a 3.500 quilos. Para além do peso, com a carta de condução de tipo B, também só pode conduzir um veículo que transporte até nove pessoas (condutor incluído).

Se pretender conduzir um carro com atrelado cujo peso ultrapasse os 3.500 quilos, tem de possuir a carta de condução da categoria B+E. Esta categoria permite também a condução de tratores agrícolas e/ou florestais.

Ler mais: “Carta de condução B: o que pode conduzir?

4 Cuidados a ter ao conduzir com atrelado

Conduzir carro com atrelado não é o mesmo que conduzir um carro citadino pequeno e ágil. Por isso, é recomendável que tenha atenção a alguns aspetos adicionais:

  1. Distribuição do peso: faça uma boa distribuição do peso da carga, para evitar que o peso fique demasiado concentrado na zona da bola de reboque.
  2. Pressão dos pneus: nunca é de mais reforçar que a pressão dos pneus deve ser verificada regularmente. Mas se conduzir um carro com atrelado, deve aumentar a pressão dos pneus e ajustá-la de acordo com as recomendações do fabricante para carga plena;
  3. Atenção às descidas: em descidas muito acentuadas, conduza devagar e recorra a mudanças mais baixas. Ao usar o motor para travar, vai evitar o desgaste prematuro dos discos de travão.
  4. Atenção às subidas: se a subida for íngreme, reduza a velocidade. Lembre-se de que um atrelado é sempre um esforço adicional para o motor. Devagar se vai longe!